Querem prender a cantora gospel Cassiane

A cantora gospel Cassiane, virou ré em uma ação movida pelo Ministério Público do Pará por improbidade administrativa sob acusação de dano ao erário, enriquecimento ilícito e violação dos princípios administrativos.

O valor da ação é de R$ 1.657.500,00 (Um milhão, seiscentos e cinquenta e sete mil e quinhentos reais).

A ação de improbidade administrativa foi ajuizada pelo Ministério Público do Pará, resultado de investigações que apontam para superfaturamento nas contratações e supostos desvio de dinheiro público

O caso teria acontecido em 2017, no município de Parauapebas – PA, quando Cassiane foi contratada para participar do 27º Encontro das Mulheres de Parauapebas.

Em novembro de 2019, o juiz Lauro Fontes Junior, determinou que as artistas Cassiane e Nayra Faria, fossem incluídas como rés no processo.

“Sendo assim, entendo que há nos autos indícios suficientes de que as duas artistas acima citadas, concorreram conscientemente na simulação dos contratos, razão pela qual, intimo o Ministério Público para que no prazo de 15 dias emende a petição inicial, devendo incluir no polo passivo as cantoras contratadas Cassiane e Nayra Faria.” diz o juiz num trecho da decisão.

Na última semana, o site do Tribunal de Justiça do Pará, trouxe uma nova decisão do juiz Lauro Fontes Junior.

Fonte: Caio Rangel

WhatsApp

Entre e receba notícias do dia.

Canal WhatsApp

Entre em nosso canal no WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SOBRE O AUTOR:

Comunicador e Jornalista formado pelo Centro Universitário do Maranhão.

DRT – 2083/MA

E-mail: sampaiowellyngton@gmail.com
Contato/ Whatsapp: (99) 98540-7358


Estamos no Instagram

Estamos no Facebook

Divulgue sua marca aqui

Publicidade

 

 

Publicidade